25 de maio de 2010

Salada de salmão fumado, figo e mozzarella

Vem aí o Verão e é bom começar a pensar em saladas, inventar saladas. Já estou a imaginar o gozo que me vai dar a experiência de juntar vários sabores e texturas na procura de um a boa salada para partilhar com os amigos. 
Entretanto vou repetir esta que, não sendo novidade, nem por isso deixa de ser deliciosa; foi uma experiência do Verão passado que foi aprovada com distinção. Só tem que se aguardar que cheguem os figos frescos.


Escolha uma boa mistura de alfaces; junte salmão fumado cortado em quadrados, queijo mozzarella (de leite de búfala) aos bocados e os figos frescos (se possível pingo-de-mel) cortados depois de retirada a pele. Regue tudo com uma vinagreta feita com azeite e vinagre a que se junta um pouco de mostarda, sal e pimenta a gosto.
Acompanhada de um copo de um bom vinho branco seco e uma fatia de pão escuro, dá um excelente refeição ligeira de verão.

18 de maio de 2010

Tarte de Morango

Uma excelente Tarte de Morango, fresca e saborosa para os tempos de canícula que aí vêm. Neste caso serviu para pôr as velas no Aniversário do E.
Base
300g de Bolacha Maria triturada grosseiramente
125g de manteiga
1 Ovo inteiro


Recheio
250g de Queijo Mascarpone
2 Iogurtes naturais
125g de Açúcar
150g de Compota de Morango
Uma folha de gelatina
Morangos a gosto

Colocar num recipiente a Bolacha Maria grosseiramente triturada, a manteiga derretida e amassar bem. O melhor é fazê-lo com as mãos. Começa-se por envolver a bolacha com a manteiga e posteriormente junta-se o ovo batido por três ou quatro vezes.

Forrar uma tarteira, com esta massa por forma a que fique homogeneamente espalhada e compacta. Levar ao forno a cozer durante 10 minutos a 200ºC (convecção).
À parte misturar o queijo Mascarpone com os iogurtes, acrescentar o açúcar e, depois de bem misturado, juntar a folha de gelatina previamente dissolvida num pouco de água.
Assim que a base da tarte tiver arrefecido recheá-la espalhando a compota de morango e pedaços de morango a gosto. Pode escolher-se os morangos mais bonitos para o enfeite e aproveitar todos os pedaços sobrantes para o recheio. As metades mais bonitas servem para o arranjo final da tarte, depois de as pincelar com um pouco da compota para que se mantenham brilhantes.
Cobrir tudo com o creme de Mascarpone e enfeitar com as metades de morango. Se o recheio estiver muito mole levar primeiro ao frigorífico até ficar um pouco mais sólido e só depois enfeitar com os morangos; assim evita-se que os morangos se enterrem no creme.
Levar ao frigorífico pelo menos 4 horas.

12 de maio de 2010

O prazer de reler

Agora  que surgem reedições de Carson McCullers renovei o prazer (e que prazer!) da sua leitura recorrendo a uma edição, da desaparecida Estúdios Cor, datada de Junho de 1959. Tradução de Cabral do Nascimento.


"Reflexos nuns olhos de oiro". Trata-se da segunda obra de Carson McCullers, a primeira que encontrei na minha estante desorganizada; irei à procura das outras que por lá tenho da mesma autora. Esta edição vem com um interessante e entusiasmado prefácio de Tennessee Williams. 
Foi em 1979 que encontrei esta e outras edições antigas esquecidas nos fundos de uma estante de uma livraria de Pombal. Comprei-as todas. Ainda tem o preço marcado - 20$00.
Ainda gosto destas coisas!

10 de maio de 2010