24 de agosto de 2010

Creme de cenoura

Ainda as sopas...
Fiz este creme porque só tinha cenouras em casa e numa pesquisa rápida ao congelador encontrei cubos de abóbora e ervilhas congeladas. Fui fazendo e saiu bem; tão bem que posso dizer que este creme de cenoura, além de excelente, é guloso, muito fácil de fazer e fica bonito no prato.

2 Chalotas
500g de cenouras
200g de abóbora
1,5L de caldo de aves
30ml de azeite
1 colher de sopa de manteiga (facultativo)
Sal, pimenta e ervilhas q.b.
Numa panela faça um fundo com as chalotas picadas e o azeite, a que pode juntar uma colher de sopa de manteiga. Quando a chalota estiver cozida junte as cenouras e a abóbora cortadas em cubos, dê uma mexida e deixe cozer em lume brando com a panela tapada.
Vá espreitando para ver se o lume está suficientemente brando para que coza sem problema e vá juntando o caldo de aves (previamente aquecido) aos poucos, tendo o cuidado de não adicionar caldo em demasia para assegurar a textura do creme que deve ficar denso. Estando tudo cozido retirar do lume e levar ao liquidificador. 
Voltar a colocar o creme ao lume, juntar uma mão cheia de ervilhas (a gosto) e corrigir texturas e temperos - caldo de aves, sal e pimenta branca de moinho. Deixar levantar fervura e cozer as ervilhas; está pronto!

23 de agosto de 2010

Panos de História

Fomos ver as 4 Tapeçarias de Pastrana ao MNAA. Estão expostas até 12 de Setembro.

Vale a pena ir ver, como vale a pena visitar o museu e descansar no seu belo jardim onde nos podemos sentar e olhar o Tejo a beber um café, ou a comer uma refeição ligeira por um preço decente.
Sobre as tapeçarias o melhor é ir ver e, se a visita não for guiada, comprar previamente, por 1€, o jornal sobre a exposição "A Invenção da Glória", à venda na Loja do Museu; sempre ajuda!

António Filipe Pimentel, Director do MNAA, deixa-nos o desafio

12 de agosto de 2010

Natureza morta (estudo)



Aguarela sobre papel 29,5 X 21cm;  2009.

Lenny Welch - I'm in the mood for love (1964)

Esqueçam o calor, os incêndios, as cheias, a política, os políticos, os ex-políticos, a Procuradoria Geral da República, os magistrados, os juízes, os advogados, os professores, os militares, os sindicatos, os patrões, os futebolistas, as transferências, os treinadores, os processos, as crises, os juros, os jornalistas, os colunistas, os crimes de todos os tipos e todas as catástrofes; esqueçam tudo e, se não conseguirem por mais tempo, fiquem por exactamente 2' 32'' "in the mood for love".

4 de agosto de 2010

Cheesecake

Um bolo que não faz concessões às dietas. Um concentrado de calorias a que é difícil resistir. Servido frio é muito bom(bástico)!


Para a Base
1 Pacote de Bolacha Maria (180g)
85g de manteiga
75g de açúcar
0,75cl de Limoncello (licor de limão)
Para o Creme
500g de queijo creme Mascarpone
150g de açúcar
4 Ovos inteiros
3,5dl de natas
1/2dl de Limoncello (licor de limão)
Raspa de 1 limão
Geleia de Framboesas para cobrir. (Fazer um glacê forte com compota de framboesas, um pouco de água e açúcar. Deixar ferver para engrossar. Coar para tirar as grainhas e deixar arrefecer.)
Parta a bolacha grosseiramente à qual se junta a manteiga derretida e o Limoncello. Amasse tudo (meta a mão) e  forre o fundo de uma forma redonda antiaderente de arco de 26cm, distribuindo a bolacha e calcando com a mão. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC durante 10 minutos. Retire do forno e deixe arrefecer. É uma alternativa segura forrar a forma com papel vegetal.
Bata o queijo com o açúcar, vá juntando os ovos um a um e por fim as natas, a raspa do limão e o licor. Bata muito bem até ficar cremoso. Deite o creme na forma e leve ao forno a 150ºC durante 1 hora, colocando um recipiente com água no tabuleiro inferior.
Retire do forno e deixe arrefecer um pouco para retirar o arco. Depois de frio vai ao frigorífico pelo menos 4 horas. Finalmente cobre-se com a geleia de framboesas e enfeita-se com um ramo de groselhas.