11 de abril de 2015

Porto A. A. Ferreira - Garrafeira 1830

Como explicar a solenidade do momento? Abrir um Porto Ferreira Garrafeira de 1830. Coisa de família a que se tinha perdido a história. Estava lá por casa à espera de um dia que foi agora.

O pormenor do A. A. FERREIRA, SUCCRS. OPORTO.

Todas as cautelas pois a rolha já devia estar em más condições, embora estivesse lacrada. Não estavam reunidas as condições para lhe dar o tratamento merecido - faltava a tenaz para lhe partir o gargalo. 



Nada de agitar a garrafa. Primeiro tirar o lacre. Abordar a rolha com cuidado, lentamente e, já está! Será que ainda está bebível? Vamos decanta-lo...

A cor entusiasmou-me e o aroma pujante deu-me a certeza. Está bom! O depósito no fundo da garrafa não era excessivo nem turvo.



É com respeitosa emoção que se prova um vinho com esta idade. Espantosamente cheio de personalidade e força. Delicioso. Para beber devagar.

1 comentário:

  1. Se pensarmos em tudo o que aconteceu no mundo desde que esse vinho foi feito, a emoção ainda é maior

    ResponderEliminar

Sujeito a moderação de comentários.