31 de maio de 2015

Clafoutis de cereja

Está na altura delas, as cerejas, doces e carnudas.

Lembram-se do Clafoutis de maçã? Pois a receita é a mesma.






Em vez da maçã escolha 700g de cerejas bem doces e carnudas. Não utilizando maçã não necessita de sumo de limão nem de canela. O resto da receita mantem-se. Ah! e não se esqueça, pois é muito importante, que a cereja vai inteira, sim!, com caroço, e fica óptimo.


Desenforme com cuidado depois de frio. Polvilhe com açúcar em pó. Experimente colocar uma fatia no frigorifico para comer fresco. Pode ser que goste. Eu gosto de mais!


16 de maio de 2015

Expo Milão 2015 - Nutrire il Pianeta, Energia per la Vita

A Expo Milão 2015 é dedicada à alimentação no mundo - Nutrire il Pianeta, Energia per la Vita - e Portugal não vai estar presente. 




Ferreira Fernandes diz da falta que fazemos nessa feira.

"(...)Milão, hoje - onde o mundo glorifica a comida, Portugal não está presente. Não tem pavilhão, nem banca, nem um simples papelinho distribuído à entrada: "Olá, vocês não se lembram, mas já nos conhecemos. Foi Portugal que vos apresentou a/o [e aí o folheto diria o nome dum tubérculo, dum fruto, dum cereal]..." Aos brasileiros deu o café para conversar; à China e à Índia, a batata; e vindo dos Andes, o chili pepper, o jindungo que, passando pelo Brasil, deu sentido às sopas tailandesas e coreanas. Reparem, nem falo da paprica húngara - só reivindico as entregas diretas. A Budapeste, o picante só chegou depois de passar pela Turquia, trazido da Índia, onde, em Goa, os portugueses tinham metido o jindungo no vindaloo. Leiam alto e descubram a origem da palavra: "vinha-d"alho"... O vindaloo encontrei-o, também deturpado, em Trindade e Tobago e no Havai.
Em 1972, o americano Alfred W. Crosby publicou The Columbian Exchange (A Troca Colombiana), sobre uma mudança-chave da história, quando o Velho Mundo se encontrou com as Américas. Nesses anos, 1492, com Colombo, e 1500, com Pedro Álvares Cabral, o planeta começou a ser pintado redondo. Global, como hoje se diz. No maravilhoso A Aventura das Plantas e os Descobrimentos Portugueses, de 1992, José Mendes Ferrão explicou essa contribuição portuguesa. O mais comum prato angolano, o funje, é acompanhado por fuba de milho ou por fuba de mandioca. O milho e a mandioca vieram do Brasil. E não se espalharam só pelas antigas colónias portuguesas, são as duas farinhas mais comidas em toda a África. O molho desses pratos é feito com óleo de palma, do coconote, que foi levado pelos portugueses da Índia (Goa) e Sudeste da Ásia (Malaca) para África e Brasil. Quem come moqueca em Salvador da Bahia, saboreia Goa, sem que a agência portuguesa de viagens cobre taxas. No Nordeste brasileiro, chama canjica ao mingau de milho, ou munguzá, se for sem tempero e sal. Os nomes vêm do quimbundo angolano, kanjika mukunza. Quer dizer, a viagem das plantas não foi feita calada, uniu povos, para lá do palato.
A cana-de-açúcar tem origem na Índia e chegou a Pernambuco, o café é da Arábia e chegou a São Paulo. "E quem levou?", perguntaria o folheto que devíamos levar a Milão, já que não temos pavilhão. Os portugueses conhecem o ananás desde 1500, do Brasil. Levaram-no para estações de aclimatação, para os Açores, para o tornar de outro mundo (como levaram o cacau para São Tomé). Durante décadas, o Havai foi o maior produtor de mundial de ananás, mas só o começou a produzir em 1886, oito anos após o Reino do Havai, graças a um acordo de emigração com Portugal, já ter camponeses de São Miguel, Açores...
O pavilhão da Santa Sé, na Expo 2015, diz que a comida é também assunto de rituais e símbolos. Claro. E os portugueses foram apóstolos do valor sagrado do pão, espalharam-lhe a palavra e os sabores. O governo português diz que não temos pavilhão porque não temos dinheiro. É falso. Não estamos lá porque quem decidiu é pobre de espírito. Não merece Portugal."  in DN 16.05.2015.

11 de maio de 2015

Pavlova light de morangos


Sem pretensões de fazer uma receita rigorosa ou original, tenho por hábito variar nas frutas que vou utilizando. Pontualmente também evito fazer a Pavlova com natas e creme fraïche para evitar aquelas calorias todas. Desta vez utilizei morangos e iogurte grego natural. Fica muito fresca e saborosa, e light... na medida do possível. Boa para estes dias quentes.

4 Claras
200g de açúcar
2 colheres de chá de farinha maisena
1 pitada de sal
1 colher de sopa de vinagre aromático, cidra, framboesa...
3 iogurtes gregos naturais
2 colheres de sopa de açúcar em pó
sementes raspadas de uma vagem de baunilha cortada longitudinalmente
250g de morangos
2 colheres de sopa de Limoncello
1 colher de sopa de açúcar
50g de amêndoas fatiadas tostadas

Forre o tabuleiro do forno com uma folha de papel vegetal (ou sobre o silpat), desenhe um círculo de 24 cm de diâmetro e unte com margarina. 

Bata as claras em castelo com a pitada do sal até ficarem bem firmes. Lentamente, junte o açúcar batendo sempre. Dissolva a maisena no vinagre (se necessário acrescente uma gotas de água) e misture nas claras continuando a bater. Deite colheradas de massa sobre o círculo do papel vegetal e ajeite em forma circular com uma espátula podendo deixar o interior um pouco cavo.
Leve ao forno previamente aquecido a 180°C para que cresça depressa e fique crocante por fora. Passe para 150°C e espere 30 minutos.

Ao fim desse tempo desligue o forno e deixe arrefecer completamente dentro do forno. Retire o papel vegetal, e coloque num prato.

Misture bem o iogurte com as sementes de baunilha e o açúcar em pó. Encha o suspiro com este creme. Cubra com 150g dos morangos cortados em quartos. Pode fazer camadas: morangos, iogurte, morangos.

À parte, liquidifique os restantes 100g de morangos juntamente com 2 colheres de sopa de Limoncello e uma colher de sopa de açúcar. Passe por um coador para retirar as grainhas. 
Verta em fio sobre a pavlova. Leve ao frio. Na hora de servir polvilhe com as amêndoas torradas.

Dica: O suspiro tende a crescer e pode ficar demasiado largo tornando-se pouco elegante para colocar num prato. Pode limitar-se esse alargamento utilizando um aro untado com margarina.